O seu navegador está desatualizado!

Atualize o seu navegador para ter uma melhor experiência e visualização deste site. Atualize o seu navegador agora

×

 

Pela oitava semana consecutiva o mercado financeiro reduziu as projeções para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2012, considerado o indicador oficial de inflação, de acordo com o boletim Focus, divulgado ontem pelo Banco Central.
 
A mediana das estimativas de mais cem instituições consultadas semanalmente pela autoridade monetária para o indicador caiu de 4,93% para 4,85%, aproximando-se, assim, do centro da meta de inflação definida pelo BC, de 4,5% ao ano para 2012.
 
A queda nas projeções ocorre após o IPCA de junho, divulgado sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vir abaixo do esperado: inflação de 0,08%, ante expectativa de 0,12%, segundo média apurada pelo Valor Data entre dez instituições. Foi a menor variação do índice desde agosto de 2010, quando marcou alta de 0,04%.
 
Entre os Top 5 – grupo de instituições que mais acerta as previsões – a mediana das previsões de médio prazo para o IPCA em 2012 se deslocou de 5% para 4,86%. Para 2013, as previsões para o IPCA se mantiveram em 5,5%, tanto na pesquisa geral quanto entre os Top 5.
 
Os analistas também continuam a reduzir suas previsões para o crescimento da produção industrial e da economia brasileira em 2012, a despeito da série de medidas anunciadas recentemente para estimular a atividade no país.
 
De acordo com o boletim Focus, a mediana das estimativas para a expansão da atividade industrial neste ano recuou de 0,39% para 0,10%, a sexta redução seguida.
 
O ajuste para baixo ocorre depois que o IBGE informou, na semana passada, que a produção industrial de maio caiu 0,9%, na comparação com abril, feitos os ajustes sazonais. O recuo foi maior que a média de queda de 0,65% estimada pelos economistas consultados pelo Valor Data.
 
Acompanhando as avaliações sobre a indústria, a mediana das projeções para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2012 também se deslocou mais para baixo, pela nona semana. O mercado agora espera crescimento de 2,01%, ante 2,05% projetados na semana passada. Com relação a 2013, o mercado reduziu a expectativa para o crescimento da produção industrial, de 4,30% para 4,25%, mas manteve sua expectativa para o avanço do PIB em 4,20%.
 
A mediana das estimativas para 2013 para a Selic, a taxa básica de juros da economia, caiu de 9%, no boletim da semana passada, para 8,5%. Já para 2012, os analistas mantiveram a previsão de que a taxa encerre 2012 em 7,5%.
 
Fonte: Valor Econômico/ Ana Conceição – 10/07/2012

Outras notícias

Na China, banco central prepara terreno para aperto monetário

Leia mais

Para ganhar eficiência, bancos apostam em aumento de escala

Leia mais

Não é Basileia 3 que atravanca o crédito no país

Leia mais